A promotoria de Berlim abriu uma investigação criminal contra o vocalista do Rammstein, Till Lindemann.

0
188

A promotoria de Berlim abriu uma investigação criminal contra o vocalista do Rammstein, Till Lindemann. De acordo com o B.Z., Der Spiegel, Bild e outras publicações alemãs, ele é suspeito de violência sexual.

De acordo com o Bild, o caso se baseia em evidências de dois casos, um dos quais foi para a polícia de Berlim e o outro diretamente para o gabinete do promotor público. A investigação está sendo conduzida de acordo com o Artigo 177 do Código Penal Alemão sobre atos criminosos contra a autodeterminação sexual, que prevê uma pena máxima de prisão de até dez anos. Os detalhes do caso ainda não foram especificados.

No início de junho, mais de dez mulheres alegaram que foram convidadas para festas organizadas especificamente para Lindemann após os shows do Rammstein, onde lhes foram oferecidos álcool e drogas. De acordo com elas, também foram convidadas para esses eventos por meio de redes sociais, onde tiveram que enviar fotos ou vídeos de si mesmas. Pelo menos duas mulheres alegaram ter sido abusadas sexualmente pelo músico.

De acordo com o Bild, as festas eram organizadas pela cidadã russa Alyona Makeyeva, que se referia a si mesma como “diretora de casting”. De acordo com o jornal, o grupo Rammstein parou de trabalhar com ela em 6 de junho.

Lindemann nega as acusações contra ela. “Todas as alegações, sem exceção, de que as mulheres nos shows do Rammstein foram deliberadamente drogadas e alcoolizadas para que nosso cliente pudesse realizar atos sexuais com elas são falsas”, disseram seus advogados em um comunicado.

O site oficial do Rammstein divulgou um comunicado em 3 de junho, dizendo que a banda leva muito a sério as alegações contra o vocalista: “As acusações são muito difíceis para todos nós e as levamos muito a sério. É importante para nós que os fãs se sintam confortáveis e seguros em nossos shows – na frente do palco e nos bastidores.”

Separadamente, a banda pediu a seus fãs que não fossem preconceituosos com aqueles que fizeram as acusações e também observou que os membros da banda têm o direito de não serem preconceituosos.

Alguns fãs defenderam o músico, enquanto outros decidiram boicotar os shows. Como escreveu a Deutsche Welle, pouco antes do show do Rammstein em Munique, no início de junho, alguns fãs começaram a vender seus ingressos nas redes sociais, dizendo que o fizeram por causa das acusações contra o vocalista. Ativistas protestaram do lado de fora do estádio onde o show seria realizado, exigindo que o show fosse cancelado.

Conforme observado pelo Der Spiegel, Lindemann parou de usar um canhão de pênis estilizado que dispara espuma durante as apresentações em meio ao escândalo. Anteriormente, esse canhão esteve presente nos shows do Rammstein durante anos.

Apesar das acusações contra o vocalista, o Rammstein continua sua turnê de verão, que incluirá cerca de uma dúzia de shows em países europeus.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui